A candidatura do município de Peso da Régua foi a que conquistou os membros da Assembleia da AMPV, os quais no dia 15 de novembro atribuíram a esta cidade da região do Douro o título de Cidade do Vinho 2019. Concorreram também ao título os municípios de Borba (Alentejo) e Viseu (Dão).

Para o município de Peso da Régua "esta é uma distinção que nos diferencia como território vinhateiro em Portugal. Desta homenagem a Peso da Régua e às nossas gentes sai o compromisso de continuar a promover o vinho, as relações humanas e comerciais em torno do maior embaixador de Portugal no mundo". Acrescenta o presidente José Manuel Gonçalves que "pretendemos que este título seja do Douro, que todos sintam como seu e que seja mais uma marca que nos vai afirmar no país e no mundo".

VALE DO DOURO: RIQUEZA ÍMPAR NO MUNDO

Ao mandar delimitar as vinhas do Vale do Douro com marcos de granito – Marcos de Feitoria – determinando as áreas de produção dos melhores vinhos, o Marquês de Pombal criou aqui a primeira região regulamentada do mundo.

Esse foi o prelúdio da grande odisseia do vinho do Douro, com a consequente fixação das populações nas margens do rio. Os socalcos, construídos graças à perseverança de homens que, durante gerações cavaram a rocha mãe, definem esta natureza.

Considerada uma das mais grandiosas e belas paisagens vinhateiras do mundo, o Douro apresenta-se como um anfiteatro gigante de xistos e videiras. Dos miradouros de São Leonardo de Galafura e Santo António de Loureiro, pode ser admirada esta realidade, bem como o elemento principal deste cenário: o rio Douro.

UMA CIDADE CHEIA DE HISTÓRIA E TRADIÇÃO

Quem chega à cidade é saudado pelas rebuçadeiras que, de bata e lenço brancos, vão vendendo estes doces típicos. Confecionados a partir de açúcar em ponto, estes rebuçados são os doces mais conhecidos e apreciados da região.

Peso da Régua foi elevada a concelho em 1836. A história do território e das suas gentes fica marcada pela instituição na vila da Companhia Geral das Vinhas do Alto Douro, pelo Marquês de Pombal em 1756.

Tendo mandado delimitar as vinhas do Vale do Douro com marcos de granito, determinando assim as áreas de produção dos melhores vinhos, Portugal criou no Douro a primeira região demarcada e regulamentada do mundo. A partir daí, em virtude da sua localização geográfica, Peso da Régua tornou-se no centro nevrálgico da região.

Peso da Régua foi elevada à categoria de cidade a 14 de agosto de 1985. Em 1988 foi reconhecida pelo Office Internacional de la Vigne et du Vin como Cidade Internacional da Vinha e do Vinho.

O facto de Peso da Régua ser considerada uma encruzilhada de rotas e, por conseguinte, de pessoas, traduziu-se na gastronomia. Culturas diferentes num mesmo território conduz à partilha e assimilação de saberes e sabores. Talvez por isso, a gastronomia local seja marcada por grande diversidade.

O VINHO DO PORTO

Tanto na gastronomia reguense como na da restante região duriense, o vinho do Porto assume-se imprescindível, tanto como ingrediente “secreto” de pratos únicos, como acompanhamento de refeições, das mais fartas às mais ligeiras. Escolhendo entre os vários Portos, é possível desfrutar de experiências gastronómicas únicas, através da conjugação harmónica do sabor doce do vinho, com petiscos e pratos, como é o caso dos queijos.

O Vinho do Porto branco é um excelente aperitivo servido fresco com canapés, azeitonas ou frutos secos e até com água tónica e limão nas tardes mais quentes de verão.

O Vinho do Porto atua também como intensificador dos sabores quentes e voluptuosos do chocolate e dos frutos secos, rematando qualquer refeição num ato único de prazer indulgente.