O trabalho de Anselmo Mendes é reconhecido em Portugal e no estrangeiro não apenas pela excelência dos vinhos que produz mas pela forma surpreendente e consistente como inova. A fermentação de uvas Alvarinho em barricas de madeira ou o uso de técnicas de vinificação antigas, como a curtimenta, são alguns dos métodos que fazem com que estes vinhos sejam um caso à parte no mundo dos brancos.

Apostando nas castas Alvarinho, Loureiro e Avesso, o enólogo produz vinhos brancos tranquilos que tem vindo a conquistar diversos prémios e distinções, ganhando a confiança dos críticos e apreciadores mais exigentes um pouco por todo o mundo. A expressão original de uma paixão com raízes no passado, sedimentada com uma longa experiência e conhecimento.

Numa prova especial na Garrafeira Tio Pepe no Porto, pôs em cima da mesa todos, ou quase todos, os trunfos. Em prova estiveram mais de 20 vinhos.

Muros Antigos 2009, 2010,2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017

Muros de Melgaço 1998, 2002, 2008, 2011, 2017

Contacto 2017

Expressões 2016

Parcela Única 2016

Blanc de Noirs Alvarelhão 2016

Pardusco 2012

Curtimenta 2011

Notas de excelência para Muros Antigos 2009, 2012 e 2013, Muros de Melgaço 2011, Alvarelhão 2016 e Curtimenta 2011, tendo os restantes uma prestacção excepcional.

Nasceu em Monção, em 1962, numa família ligada à agricultura e à vinha. Licenciado em Engenharia Agro-Industrial, pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa, começou a carreira de enólogo em 1988, na Região dos Vinhos Verdes. Com uma pós-graduação em enologia na Escola Superior de Biotecnologia do Porto, da Universidade Católica Portuguesa, Anselmo Mendes seria reconhecido em Portugal como Enólogo do Ano, em 1998, apenas dez anos depois de começar a sua carreira. A Revista de Vinhos também o considerou Produtor do Ano (2011) e o semanário Expresso incluiu-o em 2012 na lista de 100 personalidades mais influentes do País. Está entre os melhores enólogos de Portugal, segundo a Parker`s Wine Buyer`s Guide.