A Quinta da Pacheca viu o seu portofólio reforçado com dois vinhos inéditos e mais um vintage. O Grande Reserva Branco é uma grande aposta na área dos vinhos de mesa, enquanto o primeiro colheita tardia promete surpreender e ficar na história dos licorosos do Douro. Trata-se de vinhos que permitem novas experiências sensoriais, num ambiente de modernidade combinada com tradição.

Segundo afirmam os responsáveis, "a Quinta da Pacheca desenvolveu durante os últimos anos, um trabalho de enologia que lhe tem permitido dar um salto quantitativo e qualitativo assinalável". Desde 2012, com a compra da propriedade por parte dos empresários Maria do Céu Gonçalves e Paulo Pereira, "que a Pacheca passou a ter uma gestão moderna e rigorosa, conhecendo um novo ciclo virtuoso de crescimento, quer na área da vinicultura, quer do enoturismo, vertente na qual é um dos principais players do Alto Douro Vinhateiro".

Em termos de viticultura, a estrutura está cada vez mais profissionalizada e utiliza as técnicas mais avançadas do mundo vínico. A enóloga Maria Serpa Pimentel e o director de produção são dois dos responsáveis pela mudança radical do panorama da empresa, que hoje produz mais de um milhão de garrafas, cerca de oito vezes mais do que em 2012.

Os vinhos

PACHECA GRANDE RESERVA BRANCO

Classificação: Douro DOC Ano de colheita: 2017

VINHAS

Este vinho é obtido a partir de uvas da casta Viosinho e Rabigato oriundas de várias parcelas de vinha instaladas a 300 metros de altitude.

NOTAS DE PROVA

É um vinho de cor amarelo palha, notas de chá, citrino e tosta.

Na boca comparece fresco, elegante com acidez equilibrada e um final prolongado relevando grande caracter.

Recomenda-se ser bebido nunca a baixo dos 12 Cº.

CASTAS

Viosinho e Rabigato

ESTÁGIO

12 meses em barricas carvalho Francês e Acácia de 500 Litros com bâtonnage semanal.

VINIFICAÇÃO

As uvas foram colhidas para caixas de 25 Kg, após cuidadosa seleção pelo seu melhor estado de sanidade, e enca- minhadas para o centro de vinificação onde foram prensadas em prensa pneumática. O mosto resultante da prensagem foi encaminhado para cuba de aço inoxidável, inertizada e arrefecida, onde permaneceu durante 24 horas para fazer a decantação. No fim desse período, foi transferido para outra cuba onde inoculado com leveduras selecionadas, tendo dado início à fermentação. Após 48 horas do arranque de fermentação alcoólica, foi transferido para barricas novas de 500L de carvalho francês e acácia onde terminou a fermentação. Estagiou com bâtonnage semanal, sobre borras finas, durante 12 meses.

ANÁLISE QUÍMICA

Teor Alcoólico: 13,5% pH: 3,25
Acidez total: 6,61 g/L Açucares Totais: 0,8 g/L

PACHECA LATE HARVEST 2015

Classificação: Douro DOC, Ano de colheita 2015

DESCRIÇÃO

Um vinho doce, elegante, resultante da desidratação das uvas por infecção por botritys cinerea (podridão nobre) e consequente aumento de açúcares e ácidos nas uvas, que foram deixadas na vinha várias semanas após a maturação ideal e vindimadas na segunda semana de Novembro.

CASTAS

Sémillon

ANÁLISE QUÍMICA

Teor Alcoólico: 12,5% Açúcares Totais: 115 g/L

PACHECA PORTO VINTAGE 2017

Classificação: Porto

ANO VITÍCOLA:

O ano começou com um Inverno frio e seco, registando-se uma pluviosidade muito baixa. O abrolhamento ocorreu relativamente cedo, por volta de 10 de Março. As condições secas continuaram na Primavera e o clima quente de Abril e Maio estimulou o rápido crescimento das videiras. As primeiras três semanas de Junho foram extremamente quen- tes, causando e acelerando ainda mais o ciclo com o pintor a aparecer cerca de um mês antes relativamente ao ano anterior. Apesar de algumas trovoadas e das chuvas no início de Julho, o tempo permaneceu seco até ao final do ciclo vegetativo. Como esperado, a colheita amadureceu muito cedo, apresentado altos níveis de açúcar que conduziram a fermentações mais longas e a uma muito eficaz extração de cor. Na Quinta da Pacheca a vindima começou no dia 3 de Setembro na parcela de vinha cujas uvas constituem este Vintage. As temperaturas durante a vindima foram amenas, com noites frias, permitindo fermentações equilibradas e excelente extração. Os mostos apresentaram-se densos e marcados por excecional profundidade de cor.

NOTAS DE PROVA

Retinto, opaco no centro com bordo vermelho escuro. O nariz é cheio, fruta preta complexa, notas de esteva, ervas silvestres e violeta. Na boca sente-se uma explosão de fruta silvestre, com ta- ninos firmes, mas aveludados, fresco e uma intensidade que promete uma vida longa.

CASTAS

Uvas provenientes de vinhas mais velhas da Quinta da Pacheca, com uma idade média de 60 anos, onde predominam as castas tradicionais do Douro.

SUGESTÕES SERVIÇO

O vinho deve ser servido ligeiramente re- frescado (16-18o C) e a acompanhar queijos ou sobremesas de chocolate negro e frutos vermelhos.

ANÁLISE QUÍMICA

Teor Alcoólico: 20,5% Baumé: 3,8
pH: 3,84
Açúcares Totais: 100 g/L