A Quinta do Crasto, produtor de vinhos e azeites no Douro, acaba de lançar as novas colheitas Crasto Branco 2017, Crasto Tinto 2016 e Crasto Rosé 2017. Com perfil moderno e elegante, estes vinhos partilham a missão de expressar as várias facetas do terroir do Douro, reforçando o seu potencial para a produção de vinhos de elevada qualidade e aptidão gastronómica.

Segundo Pedro Guedes de Almeida, "estes vinhos assumem-se como os cúmplices perfeitos da gastronomia contemporânea, revelando uma surpreendente versatilidade na mesa e no copo. Pelo seu perfil fresco e aromático, adaptam-se com facilidade a diferentes momentos de consumo, acompanhando o ritmo dos sabores de primavera".

O Branco, elaborado à base de Viosinho, Gouveio e Rabigato, as castas brancas tradicionais do Douro, "apresenta cor citrina brilhante e pela explosão aromática com notas de frutos tropicais, a fazer lembrar maracujá fresco, acompanha na perfeição os pratos típicos da estação como grelhados, mariscos ou petiscos leves".

Este vinho apresenta-se como uma "memória viva de uma vindima que ficaria para a história da Quinta do Crasto como a mais precoce de sempre, marcada por condições climatéricas atípicas. A experiência da equipa de enologia da casa foi chamada a intervir, através de um acompanhamento rigoroso em toda a vindima. O resultado foi uma colheita excecional, surpreendendo a própria região, com uvas de excelente concentração de sabores e perfeita acidez", conclui Guedes de Almeida.

A segunda colheita do Rosé, o elemento mais novo da familia Quinta do Crasto apresenta-se, "refrescante, equilibrado e com grande potencial gastronómico, acompanhando pratos leves e delicados como saladas, carnes brancas ou mariscos e peixes, mas também para pratos mais desafiantes e complexos, não perdendo brilho com especiarias ou temperos mais apurados"

O Tinto, mantém-se fiel aos atributos únicos das castas tradicionais do Douro que o compõem - Tinta Roriz, Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Barroca - e com a particularidade de não estagiar em madeira, o Crasto Tinto 2016 afirma-se com um dos principais cartões de visita do produtor duriense, "com uma envolvente frescura e aroma de frutos silvestres, revela uma estrutura elegante e final persistente".