A Caminhos Cruzados, empresa produtora de vinhos do Dão, surpreende o mercado com as suas novas colheitas - o seu topo de gama Teixuga Tinto 2014, Titular Dão Novo Tinto 2018, Descarada Branco Doce 2017 e Titular (A edição sem nome) Tinto 2015 – para celebrar os bons momentos.

“Trata-se de vinhos de produções limitadas que retratam a essência, a novidade e a surpresa que as nossas terras e todo o processo de vinificação oferecem, e tornam cada garrafa uma experiência ímpar. Estas novas apostas são um cruzamento entre a história e as raízes da nossa região com uma visão mais arrojada e a certeza que continuamos no caminho certo”, refere Lígia Santos, CEO de Caminhos Cruzados.

Teixuga Tinto 2014 é o primeiro tinto da marca topo de gama de Caminhos Cruzados e, como o seu irmão Teixuga Branco, é originário de uvas provenientes das vinhas velhas da Quinta da Teixuga, uma quinta muito reconhecida em Nelas. Após a fermentação maloláctica, este vinho estagiou cerca de 24 meses, parte em barricas de carvalho francês novo, e o restante em barricas usadas. Como resultado, surgiu um vinho de cor intensa e profunda, com um aroma que surpreende pela intensidade, emotividade e com uma enorme persistência e elegância, num todo caracterizado pelo equilíbrio entre todos os componentes, que reflecte o Dão na sua essência.

Já o Titular Dão Novo 2018, o primeiro tinto de 2018, é resultado de uvas inteiras, vindimadas a 18 de setembro, que passaram por um processo de vinificação exímio, surgindo um vinho pronto para a colagem de filtração final antes do engarrafamento que decorreu a 8 de novembro de 2018.

O Titular Dão Novo é um vinho com características sui generis, com a expressão aromática focalizada nas notas frescas de morango e framboesa, e um paladar muito suave, onde os taninos surgem muito redondos e aveludados. Lançado a poucos dias do S. Martinho, o Titular Dão Novo é o vinho ideal para acompanhar castanhas, e continuando na sua vocação popular, no Santo António aproveita para constituir um casamento perfeito com a sardinha assada. Mas há mais vida para além dos santos, e pizzas, ou comida chinesa e japonesa, por exemplo, também agradecem a sua companhia. Um vinho diferente, um beaujolais noveau à portuguesa, único no país, recomendado para ser apreciado de forma informal.

Com todo o descaramento que se pode ter, Descarada 2017 é um vinho branco doce de uvas das castas Chardonnay e Semillon, feito num ano de muito calor. E por ter sido vindimado em finais de agosto, com uma acidez elevada, contribuindo para um perfeito equilíbrio com a doçura que apresenta, surge um vinho de “colheita precoce”, ideal para acompanhar doces ou frutas.

E porque Caminhos Cruzados quer deixar nas suas terras a história de gerações que esperam que o vinho continue a ser titular de muitas e boas notícias, surge a novidade e a ousadia de um tinto 2015, chamado Titular (A Edição sem Nome). Originário de uvas de diferentes castas e vindimadas, manualmente, na vinha da Quinta do Barrocal, Titular (A Edição sem Nome) é o resultado de uma fermentação das três castas que o constituem, fermentadas em conjunto, promovendo assim uma superior integração das suas particulares qualidades: a exuberância aromática da Touriga Nacional e a firmeza dos taninos da Tinta Roriz, harmonizadas pela elegância e frescura do Alfrocheiro Preto. O Sem Nome é o espelho dessas virtudes, a que se junta o tradicional pendor gastronómico dos vinhos com origem na região do Dão.